quinta-feira, novembro 30, 2017

quarta-feira, novembro 29, 2017

"Knockin' on heaven's door" - Bob Dylan


Bob Dylan em Lisboa em 2018

Desde 1993, Dylan tocou seis vezes em Portugal: no Porto, em Cascais, Lisboa e Vilar de Mouros. Os bilhetes estão à venda a partir de 1 de dezembro

Esta será a sétima vez (estreou-se em palcos nacionais nos idos de 1993) que Bob Dylan atua em Portugal, a primeira desde que, em outubro do ano passado, recebeu o Nobel da Literatura — por “ter criado novas expressões poéticas no âmbito da música norte-americana”.
São precisamente essas “expressões poéticas” (o mesmo é dizer: canções como “The Times They Are a-Changin’”, “Like a Rolling Stone” ou “Just Like a Woman” que Dylan apresentará na Altice Arena, em Lisboa, a 22 de março do próximo ano.
Bob Dylan apresentou-se pela primeira vez ao público português em julho de 1993, primeiro no Coliseu do Porto e, depois, em Cascais, no pavilhão do Dramático. As primeira parte dos concertos ficou a cargo, respetivamente, no Porto e em Lisboa, de Sérgio Godinho e de Laurie Anderson.
Dylan regressaria três anos depois, em abril, para dois concertos no então Pavilhão Atlântico. Em seguida atuaria no Coliseu do Porto. Os concertos em Portugal foram a abertura da então digressão europeia do músico.
Anos mais tarde, em 2004, Bob Dylan esteve em Vilar de Mouros e, quatro anos volvidos, no festival Nos Alive, em Algés.

É certo que a primeira vez que atuou em Portugal foi há vinte e três anos. Mas antes, em 1965, após a relação com Joan Baez ter acabado, Bob Dylan visitou Portugal (não se sabendo ao certo que cidades visitou ou durante o quanto tempo) acompanhado por Sara Lownds — com quem casaria poucos meses depois.
A visita até foi… produtiva. E na canção “Sara”, incluída no álbum “Desire”, de 1976, Dylan fez mesmo uma referência à essa visita a versos tantos: drinkin’ white rum in a Portugal bar. Mas a visita também “caiu mal” ao músico. De acordo com a biografia “Behind the Shades”, de Clinton Heylin, depois da visita, e regressado que estava a Londres, Dylan foi hospitalizado por causa de uma intoxicação alimentar.
A parte boa da intoxicação que em Portugal contraiu é que durante a recuperação escreveria “Like a Rolling Stone”…

Extraído do Jornal Digital " O Observador"

Keith Richards & The X-Pensive Winos - "Will but you won't"


La Negra + Carlos Barreto + Filho da Mãe ao vivo em Lisboa



Sentimiento Fuerte
apresenta


LA NEGRA COM CARLOS BARRETTO 
+
 FILHO DA MÃE

1 de Dezembro no Titanic Sur Mer, Cais do Sodré
Entrada: 7€ | Reservas: agencia@sentimientofuerte.com 


23674656_129450821069054_6930991973454863433_o.jpeg

PROGRAMA


► Filho da Mãe
23H00

O nome de palco de Rui Carvalho fala por si só: é um grande Filho da Mãe. 
É assim, no seu metralhar de argumentos melódicos delicadamente encadeados, 
que cada peça na guitarra de Filho da Mãe nos toma, 
na soberba da técnica e no fôlego que nos tira a cada nota.


► La Negra com Carlos Barretto
24H30

Sara Ribeiro volta a surgir junto da sua sombra para dar voz às canções de La Negra.  
Canções sobre mulheres, sobre mitos e liberdade. Paisagens de um eu voraz, 
para voz e piano. E para este concerto o duo irá ser acompanhado pelo mestre Carlos Barretto no contrabaixo. 


► Jóia Dionísio Soundystem
das 02H00 às 06H00

Robalo é Artur Joia, e Gil é Dionísio. 
Robalo e Gil é Joia Dionísio. 
Soundsystem do sonho e da aventura. 
O Soundsystem responsável pela última temporada do Baile do Engate. 

*
+info e reservas para agencia@sentimientofuerte.com

Peste & Sida ao vivo no Porto (30 Dez./Cave 45) e Coimbra (31 Dez./Praça do Comércio)


PESTE & SIDA 
30 DEZ | CAVE 45 | PORTO
31 DEZ-  PASSAGEM DE ANO| PRAÇA DO COMÉRCIO | COIMBRA
Após a edição do álbum Peste & Sida ao vivo no RCA, esta mítica banda do rock nacional dá novos concertos:
Dia 30 de Dezembro na Cave 45 no Porto e no dia 31 de Dezembro na noite de passagem de ano na Praça do Comércio em Coimbra.

Dois espectáculos a não perder!

PESTE & SIDA
JOÃO SAN PAYO | VOZ, BAIXO
JOÃO ALVES | GUITARRA, VOZ
SANDRO OLIVEIRA | BATERIA, VOZ
RICARDO BARRIGA | GUITARRA (convidado permanente)

quinta-feira, novembro 23, 2017

Nuno and The End - "The end was yesterday" - Novo video


Novo disco de Duarte em fevereiro 2018

DUARTE | Novo disco "Só a Cantar"
Fevereiro 2018
 
O fadista está a gravar o seu novo disco no estúdio Pé de Vento. O álbum tem  11 temas e  conta com  fados tradicionais e outras composições entre as quais um inédito de José Mário Branco.

“Só a Cantar" é um disco de histórias que venceram a solidão. Um elogio à capacidade de estar só, de partir sozinho.
 
Novidades em breve! 

 



CD Coletânea de Luís Alberto Bettencourt

 


No próximo dia 1 de Dezembro o músico açoriano Luís Alberto Bettencourt  lança um  novo trabalho discográfico, uma compilação de 40 músicas originais, numa edição digital, e física contendo dois CDs em embalagem "digipack".

A pré-encomenda do CD Duplo pode ser feita online e a pré-encomenda Digital já se encontra disponível através do iTunes.

Desta vez, o músico e a sua equipa de técnicos decidiram abrir o seu baú discográfico e recuperar vários temas, desde do tempo do vinil até às suas mais recentes edições, numa surpreendente viagem sem qualquer preocupação de fidelidade estética sonora, possibilitando, desse modo,recordar algumas das suas mais emblemáticas composições que têm marcado a música contemporânea Açoreana, como, por exemplo, a mítica “Chamateia” ou “No Vapor da Madrugada” (nova versão), entre outras.

Num apurado trabalho de estúdio, onde a remasterização deu novo brilho a 40 obras já gravadas, podemos apreciar faixas dos álbuns “Cruzeiro” (1991), “Contemplações” (1997), “D’Azul e Negro” (2003), “O Silêncio das Horas” (2007), “Perfume das Ilhas” (2010) ,“Acústico” (2015) e ainda outras nunca editadas. A par destas, surgem novos temas compostos para este projeto.

É o próprio músico que afirma: “Estas canções, nascidas e fecundadas nas brumas do tempo, povoaram desde sempre o labirinto das minhas emoções.

Registá-las e vesti-las de novo foi um ato de amor prometido aos atalhos da minha consciência”.

Ficha técnica
Músicas e Letras – Luís Alberto Bettencourt
Gravação – Eduardo Botelho (excepto “Pedras Brancas” e “Estou Aqui Para te
Ver” –Carlos Frazão)
Misturas, Masterização, Direção e Produção de Estúdio – Eduardo Botelho
Foto – José Borges
Grafismo – Paulo Bettencourt
Management - Pedro Fragoso
Agenciamento – MediaPlay Agency 

Posts +

 
















16/11/2017


terça-feira, novembro 21, 2017