domingo, junho 26, 2016

Festival Tom de Festa em Tondela


Festival de Músicas do Mundo ACERT
Tondela, 13 a 16 julho 2016

Nos 40 anos da ACERT, o renovar contínuo de um acontecimento que há vinte e seis anos faz parte da rota dos acontecimentos nacionais de Verão.

O Pequeno Grande Polegar - ESTREIA
A marioneta gigante do Trigo Limpo teatro ACERT
Dia 13, quarta-feira
A história do Trigo Limpo teatro ACERT também se faz de engenhos cénicos de proporções gigantescas. A mais recente criação, em estreia neste Tom de Festa, é O pequeno grande Polegar, marioneta gigante inspirada no imaginário universal do Polegarzinho, cruza a experiência artística que o Trigo Limpo desenvolveu com A Viagem do Elefante (2013) e com A Fantástica Aventura de uma Criança Chamada Pinóquio (2009), contando uma história que é o sonho de um menino de verdade, um menino pequeno no mundo dos grandes,  e o espaço onde uma pequena-grande criança, a marioneta gigante deste espetáculo, muda a vida de uma comunidade, devolvendo-lhe os sonhos, a esperança e o futuro.

Com direção artística do Trigo Limpo teatro ACERT, O pequeno grande Polegar terá igualmente uma forte vertente de trabalho coletivo, envolvendo a comunidade onde se apresenta na montagem e na encenação do espetáculo.




Sérgio Godinho - Liberdade
Um concerto para revisitar Abril com os olhos no futuro
Dia 14, quinta-feira, no Palco ao ar livre do Novo Ciclo ACERT
“Liberdade” é o título de uma das mais emblemáticas canções de Sérgio Godinho. Escrita precisamente em 1974, não podia deixar de integrar este espetáculo, que passa em revista as canções desses primeiros anos da democracia portuguesa, muitas de Sérgio Godinho, mas algumas de outros cantautores, nomeadamente José Afonso. Entre passado e futuro, Liberdade não deixa de integrar canções mais recentes, lembrando que a democracia é coisa que se constrói todos os dias, de preferência em comunidade e com os olhos postos em coisas tão essenciais como “a paz, o pão, saúde, habitação”.
Antes de Sérgio Godinho, sobem ao palco os Sampladélicos.


La Dame Blanche
uma das vozes marcantes da nova geração de músicos cubanos
Dia 15, sexta-feira, no Palco ao ar livre do Novo Ciclo ACERT
Cruzando hip hop, cumbia, dancehall e reggae, a cantora cubana, flautista e percussionista Yaite Ramos Rodriguez, artisticamente nomeada como La Dame Blanche, proporciona um som poderoso, convincente e, até, espiritual.

Iniciou a carreira musical em Cuba, o seu país de origem, influenciada emotivamente pelo ambiente musical à volta da personalidade inspiradora de seu pai, Jesus "Aguaje" Ramos, da Orquesta Buena Vista Social Club. A poderosa interpretação vocal e o virtuosismo na flauta, que a acompanha em todas as actuações e discos, fazem de La Dame Blanche uma referência essencial da música cubana, misturando a tradução com a mestiçagem sem esquecer a vertente social.
Antes de La Dame Blanche, o projeto Há Lobos Sem Ser na Serra toma conta do palco. E depois, os Ezza fecham a noite.

Ver vídeo La Dame Blanche

Cheikh Lô
uma lenda da música africana
Dia 16, sábado, no Palco ao ar livre do Novo Ciclo ACERT

Cheikh Lô é uma preciosidade da música africana da atualidade. Voz carismática e compositor soberbo, começou a sua carreira musical como baterista, participando em diversos projectos até iniciar um trabalho a solo. Senhor de uma carreira musical longa e marcante, foi galardoado com o Prémio Carreira no Womex 2015, o maior acontecimento mundial de ‘world music’. Cruzando os sons do património musical senegalês com as muitas influências que recolhe de todo o mundo, Cheikh Lô enche o palco com a sua música calorosa, misturando virtuosismo com a atitude cool de um cidadão do mundo que sabe que o cosmopolitismo não é uma invenção europeia ou americana, mas antes a certeza universal de estarmos bem onde quer que estejamos.
Antes de Cheikh Lô, o palco recebe os Tocandar. Ao fim da noite, os Spin Te Kú prometem pôr o público a dançar.
Ver vídeo oficial

A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria
A MÚSICA PORTUGUESA A GOSTAR DELA PRÓPRIA* abre os concertos
O Tom de Festa presta tributo a um dos projetos mais edificantes do panorama musical nacional. A MPAGDP* é um arquivo em construção que regista, em som e imagem, músicos portugueses das mais diversas origens e formações tocando e cantando em locais improváveis.
Tiago Pereira, mentor deste projeto, deixou sinais importantes do seu trabalho no acolhimento criativo que a ACERT com ele manteve em 2001. Um reencontro imperativo e afetuoso na celebração dos 40 anos da ACERT.


De 14 a 16 de Julho, todos os concertos do Auditório ao Ar Livre serão abertos com um projecto musical já registado pelo projeto “A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria”.
Começando a 14 com os "SAMPLADÉLICOS", seguindo-se o "HÁ LOBOS SEM SER NA SERRA" e fechando dia 16 com “TOCANDAR”
Facebook do projecto MPAGDP

Cerâmica performance
O Festival Tom de Festa, nesta edição tão simbólica de celebração dos 40 anos da ACERT, presta o seu tributo a uma muito significativa expressão cultural. Ao longo do período do Festival, dez ceramistas de pontos distintos do país, com as suas rodas e barros de diferentes cores, ganham o palco para erguerem peças ao som da música. Não é uma demonstração, mas um espetáculo de interação com o público, revelando a magia de mãos e o contágio entre linguagens artísticas.

Carlos Lima e Xana Monteiro, ceramistas e escultores de Molelos, serão os cicerones desta aventura de comunicação que se traduzirá em 3 sessões de cerca de 40 minutos, onde a música será moldada pelo engenho dos ceramistas em palco: Alberto Azevedo, Ana Lousada, Ana Maló, António Duarte, Carlos Lima, Carlos Neto, Miguel Neto, Paula Violante, Vasco Baltazar e Xana Monteiro

O resultado dos desempenhos artísticos dos ceramistas ao longo destes 3 dias será depois trabalhado por Andrea Inocêncio, numa peça onde se integrarão os trabalhos previamente criados e que poderá ser vista na Galeria da ACERT.

Ao longo dos quatro dias do Tom de Festa, os espaços da ACERT vão acolher as músicas do mundo, mas também a gastronomia da nossa região, livros e vinhos em boa vizinhança e uma exposição que percorre os intensos 40 anos da Associação Cultural e Recreativa de Tondela.







Sem comentários: