sexta-feira, junho 24, 2016

Festival das Artes de 17 a 31 julho


O Festival das Artes apresenta, de 17 a 31 de Julho, a sua 8.ª edição subordinada ao tema Pioneiros.  Como José Miguel Júdice, Presidente da Direcção do Festival das Artes, afirma: “O número 8 é o símbolo do infinito e são os Pioneiros que, geração após geração, vão fazendo avançar o Mundo e assegurando o futuro da Humanidade.” E é neste espírito que o Festival das Artes programou para este ano espectáculos de música, cinema, exposições, teatro, gastronomia, e ainda actividades educativas e conferências. Artistas, a seu modo pioneiros, também nos trazem as suas artes e talentos - Diogo Infante, Evgeni Bozhanov, Joana Carneiro, Mário Laginha, entre muitos outros.

Realce para as seis orquestras em palco, entre formações conceituadas e de jovens de altíssimo nível artístico integradas no Ciclo da Música.

O Festival arranca a 17 de Julho, e junta num só dia dois excelentes exemplos destas formações: às 16:00 o público é convidado a acompanhar o concerto “Bombos, um Evento Pioneiro”, uma caminhada liderada pelo agrupamento de jovens Tocá Rufar, até à Quinta das Lágrimas, onde terá lugar, às 17:00, a cerimónia de abertura oficial do Festival.

Quem quiser poderá continuar de seguida a caminhada até ao Convento São Francisco onde decorre, às 19;00, o concerto “Dois Grandes Inovadores” pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, dedicado a dois grandes pioneiros da música clássica: Mozart e Beethoven.


Este ano vão ser apresentadas três orquestras de jovens, as melhores de cada país, que vão tocar em três dias consecutivos no Anfiteatro Colina de Camões, na Quinta das Lágrimas: a famosa Orquestra Estágio Gulbenkian, dirigida pela maestrina Joana Carneiro (28 de Julho), com a 5.ª Sinfonia de Chostakovitch, a Orquestra de Jovens da Turquia (29 de Julho), com o Concerto para Orquestra de Bartók e ainda, a Orquestra de Jovens do Canadá (30 de Julho), com a 5.ª Sinfonia de Prokofiev e também uma das mais belas páginas de música de sempre - a abertura de Tannhäuser de Wagner.

Evgeni Bozhanov é um pianista galardoado em algumas das mais relevantes competições internacionais como a Rainha Elisabeth em Bruxelas ou a Van Cliburn,  também foi pioneiro, ao recusar o 4º prémio do reputado Concurso Chopin de Varsóvia. Vai interpretar  Chopin e Debussy, que escreveram obras inesquecíveis para piano, no concerto “Vanguardistas do Piano” (27 de Julho).

Ainda de destacar o Concertino de Primavera para oboé e orquestra de cordas do compositor conimbricense Sérgio Azevedo,  apresentado em estreia absoluta no concerto “O Pai da Sinfonia e Estreias para Oboé” pelo conceituado oboísta Andrew Swinnerton, com a Orquestra Clássica do Centro (21 Julho).

Também em estreia mundial, “Jazz Wonders Suite”, uma obra colectiva tocada por músicos ligados ao Conservatório de Música de Coimbra, o CPJazz Collective, pelo saxofonista João Mortágua com o subtítulo Estórias de jazz em 7 capítulos (25 de Julho).

 “Pioneiros Nacionais e a Quinta” é o Concerto para piano de Mário Laginha, tocado pelo próprio pianista e compositor, em simultâneo com a Orquestra Gulbenkian (26 de Julho), a presença dos trios de jazz no barco Basófias, em dois fins-de-semana, e ainda a renovada parceria com o Conservatório de Música de Coimbra, que dedica também uma tarde ao concerto de e para jovens (25 de Julho).

Um ponto alto será, em estreia mundial, a peça “Palavras que Mudaram a Humanidade”, encomendada a Diogo Infante para celebrar o tema Pioneiros. O recital contém excertos de alguns dos discursos mais inspiradores que marcaram de forma indelével o rumo da Humanidade e abre um caminho de reflexão ao peso e ao contributo da palavra.

Ainda no contexto do Ciclo das Artes do Palco, Jorge Calado apresenta “Os Pioneiros do Caos”, uma conferência multimédia,  um passeio aleatório através dos tempos sobre o caos, guiado pelas ciências e pelas artes.

No Ciclo das Artes Plásticas, o Festival das Artes convida à descoberta de três exposições que se debruçam sobre personalidades pioneiras da nossa história: “O Tesouro da Rainha Santa Isabel”, exposição produzida em parceria pelo Museu Nacional de Machado de Castro, a Confraria da Rainha Santa e a Fundação Inês de Castro (até 2 de Outubro), “Bohemia – Vida e Morte no Chelsea Hotel”, da fotógrafa Rita Barros, que fotografou o Chelsea Hotel, em Nova Iorque, entre 1987 e 2014 (com a curadoria de Jorge Calado), uma exposição produzida em parceria pela Câmara Municipal de Coimbra e a Fundação Inês de Castro, e ainda a exposição “Ex- libris Vandelli” que recria os gabinetes de Vandelli, por ocasião dos 200 anos da sua morte, produzida em parceria pela Universidade de Coimbra – Museu da Ciência e a Fundação Inês de Castro (até 26 de Setembro).

No Ciclo de Cinema, comissariado por Pedro Mexia, vão ser exibidos três filmes no Mosteiro de Santa Clara-a- Velha: “La Jetée” de Chris Marker, “O Lírio Quebrado”, de D. W. Griffith e por fim “Aguirre, a Cólera dos Deuses” (1972) de Werner Herzog, nos dias 18, 19 e 20 de Julho, respectivamente.

Maria José Azevedo Santos é a conferencista que vai conversar sobre “Dona Isabel de Aragão, Santa e Pioneira ou o Desígnio de um Nome de Mulher” (21 de Julho), Maria de Lurdes Craveiro abordará o tema “João de Ruão e a ‘vanguarda’ artística em Coimbra” (26 de Julho) e por fim Manuel Antunes e Gonçalo Quadros falarão sobre os “Pioneiros da Ciência”.

O Festival das Artes conta ainda com um divertido e animado Serviço Educativo, onde se incluem “Vandelli e os 4 Pioneiros” (17 e 23 de Julho), no Museu da Ciência, “Robotástica – Criação de Universos Fantásticos com Robots” (19 e 26 de Julho), uma animação multidisciplinar para a infância pela Camaleão, “Ana de Castro Osório – Pioneira da Literatura Infantil em Portugal”, uma oficina de leitura, “A Magia do Cabaz” e “Naná – A Cozinheira de Cheiros e Sons” (28 de Julho), um workshop de Gastronomia para pais e filhos com os Chefs Vítor Dias e Humberto Costa e ainda um conto animado por Joana Rita, Contadora e Ilustradora. De referir também  “Escrita: Profecia e Adivinhação”, o workshop de escrita com o escritor Mário Cláudio (30 de Julho).

www.festivaldasartes.com

Sem comentários: