quinta-feira, fevereiro 28, 2019

Visitas +


Canada

Estados Unidos

Rússia

França

Argentina

Bangladesh

Portugal

Brasil

Ucrânia

Emirados Árabes Unidos

Novo Disco do Espanhol Patxi Andion

PATXI ANDIÓN
 
A comemorar 50 anos de carreira, o cantautor espanhol Patxi Andión estará em Portugal, para apresentar o seu novo trabalho "La hora lobicán". Um álbum de inéditos, na Fnac do Chiado, dia 7 de Março e Fnac Colombo, dia 8 de Março. 
 
"LA HORA LOBICÁN"
O disco -“La hora lobican” reúne uma mão cheia de brilhantes canções compostas e escritas por ele excepto “Vaga no azul amplo, solta” poema de Fernando Pessoa que já havia surgido sob a forma de canção no disco “Para além da saudade”. Dez novas pequenas pérolas musicais da música de autor com a chancela de um interprete absolutamente genial que segue cantando melhor que nunca, com a magnificência da sua voz rouca e profundamente visceral, com o seu magnetismo pessoal e acima de tudo com a enorme qualidade da sua música...       
 
Patxi Andión, o exilado em Paris no Maio de 68, o escritor, o actor de cinema e de televisão, mas também, e fundamentalmente, o cantor inspirado e inspirador, irónico, criativo, terno, por vezes profundamente sentimental, filosofo, contundente critico social e político e também ainda a imortal figura de “Che” Guevara na teatral “Evita” espanhola e ainda o humanista professor catedrático de sociologia está de volta às gravações e aos discos para comemorar nada menos de meio século de actividade artística através do lançamento de um novo projecto de inéditos onde caminha de mãos dadas com o futuro ao sabor da sua inquestionável  e habitual exigência  literária e musical, porém, inovando sempre e cada vez mais...
 
(CD e duplo vinil Lemuria Music/Warner Music)
 
 
 

Bruno Miranda ao vivo

  

IT MAY NOT ALWAYS BE SO vai ser apresentado ao público pela primeira vez, no dia 8 de Março, às 19h no Museu Nacional de Música de Lisboa, com entrada gratuita. é

O cd lançado no dia 9 de Novembro é a visão de Bruno Miranda dos poemas de E.E.Cummings e que pretende levar o ouvinte ao mundo da poesia. 

E.E. Cummings (1894-1962) é um dos poetas preferidos de Bruno Miranda. O seu primeiro contacto com a poesia de Cummings foi, há uns anos atrás, através de um livro com uma selecção dos seus poemas mais conhecidos. Ao ler esses poemas, imediatamente pensou num projecto aliciante e desafiante: musicar aquelas poderosas e, ao mesmo tempo, delicadas palavras.

O primeiro desafio para este projecto, foi escolher os poemas para os quais iria compor a música, dado que a obra poética de Cummings é vasta.
Neste álbum há uma selecção de poemas do autor - os preferidos de Bruno Miranda. "It may not always be so" ("Pode não ser sempre assim") é, na sua opinião, um dos mais belos poemas alguma vez escritos, por isso não havia qualquer dúvida que seria este a dar nome ao álbum.

O grande desafio foi conseguir transmitir, através da música, todas as emoções subjacentes aos poemas e  descrever musicalmente todos os sentimentos que os poemas de Cummings evocam no músico.  

Bruno teve uma introdução precoce à música, a sua avó materna, ex-soprano lírico e também pianista, ensinou-lhe os primeiros passos no mundo da música clássica.
Anos mais tarde, matriculou-se no curso de música da Academia de Amadores de Música em Lisboa, onde começou a aprender Teoria Musical e Piano. A paixão pela composição cedo apareceu  e no seu primeiro recital de piano, na Academia, apresentou um prelúdio em sol menor de sua autoria.

Dois anos mais tarde, foi admitido no Conservatório de Música de Lisboa, onde estudou Formação Musical, Piano, Canto Coral, Acústica, História da Música e Análise e Técnicas de Composição. No Conservatório, tocou regularmente como solista em recitais de piano.

O talento para a composição foi desenvolvido nesses anos no Conservatório, onde teve a oportunidade de ter aulas de composição e contactar com famosos compositores portugueses como Eurico Carrapatoso, Jorge Peixinho e Paulo Brandão. Além das aulas no Conservatório, frequentou ainda aulas particulares de composição com o compositor Sérgio Azevedo e de orquestração com Paulo Brandão.

A paixão de Bruno pela música e pelo cinema levou-o a escrever a "Hollywood Suite", uma obra sinfónica, em quatro movimentos, dedicada à música cinematográfica americana. Com esta obra, foi admitido no Berklee College of Music, em Boston (EUA), no curso de *Film Scoring*, tendo-lhe sido atribuída uma bolsa de estudo por esta instituição.

A música de Bruno não é restrita a um certo estilo, pode-se encontrar no seu repertório obras escritas num estilo puramente clássico, outras com influência notória de  música para cinema e, mais recentemente, num estilo minimal / pós-moderno. As suas obras para coro, orquestra e piano foram apresentadas em países como Portugal, França, Egito ou Irão.




BRUNO MIRANDA em CONCERTO
Apresentação do cd IT MAY NOT ALWAYS BE SO
Museu da Música de Lisboa
Estação do Metropolitano Alto dos Moinhos
Rua João de Freitas Branco
8 Março | 19h00
Entrada Gratuita 
Facebook
Instagram



terça-feira, fevereiro 26, 2019

Visitas +


Rússia

Estados Unidos

Canadá

Brasil

França

Argentina

Albânia

Portugal

Ucrânia

Indonésia

 
 

"Wanna hold you" - The Rolling Stones / Richards


Lou Reed - "Walk on the wild side"



The Rolling Stones - "Brown Sugar" - Ao vivo


Rodrigo Costa Félix - Novo álbum + Ao vivo

 


Rodrigo Costa Félix é um dos mais representativos fadistas da sua geração. Com uma carreira de mais de 25 anos, já percorreu inúmeros palcos em Portugal e no estrangeiro, tanto em Festivais de prestígio internacional como nas diversas comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo. O seu último álbum, “Fados de Amor”, teve enorme reconhecimento no nosso país – Prémio Amália Rodrigues para melhor álbum de Fado do ano – e destaque internacional – nomeado pela revista Songlines para melhor álbum de World Music. O single “Amigo Aprendiz” foi ainda distinguido pela revista The Atlantic como uma das melhores baladas do ano, também na área da World Music.
Após algum tempo de ausência dos grandes palcos nacionais, Rodrigo Costa Félix regressa aos concertos numa das mais prestigiadas salas da região de Lisboa: o Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra. O espectáculo terá como base alguns dos seus maiores sucessos bem como muitos dos temas que farão parte do seu novo álbum de originais, “Tempo”, com edição prevista para meados de 2019.
 
Ficha artística e técnica
Voz Rodrigo Costa Félix | Guitarra Portuguesa Henrique Leitão | Viola de Fado Miguel Ramos | Contrabaixo Paulo Paz | Produção Tiago Torres da Silva | 
Classificação etária: > 6
Duração aproximada: 70 minutos (sem intervalo)
Preço: 15,00 euros


"Trying to get ahead" - Boo Boo Davis


Agenda do Coliseu de Lisboa

15 mar 2019
CAROLINA DESLANDES  
 
22 mar 2019
PAULO GONZO  
 
23 mar 2019
LUDOVICO EINAUDIEsgotado  
 
28 mar 2019
NANDO REIS | VOZ E VIOLÃO  
 
30 mar 2019
LIVITY AND FRIENDS  
 
04 abr 2019
JAMES

Janeiro - Agenda

Agenda: 
28/02 Estúdio Time Out, Lisboa - com Carolina Deslandes, Benjamim, Paulo Novaes, Pedro Dias e Tainá Mota.
07/03 Salão Brazil, Coimbra - com JP Simões e Golden Slumbers 

Os bilhetes estão disponíveis disponíveis em www.janeiro.online.

Posts +


06/02/2018






22/02/2019

24/02/2019


23/02/2019

segunda-feira, fevereiro 25, 2019

Snowy White & The White Flames - I've Heard It All Before


"When I'm President" - Ian Hunter


Ian Hunter: In-store with The Vinyl District at Washington, DC's Som Records


Joao Silva & Margherita Abita ao vivo

João Silva, violinista português e Margherita Abita, cantora italiana, são os Still Life. Nascem em Barcelona com os seus primeiros temas a surgir no fim do ano de 2017. Em junho do ano seguinte decidem lançar o seu primeiro álbum com o nome do próprio grupo – “Still Life”.
A digressão ibérica dos Still Life passa também por apresentar o álbum “La Maquina de Sueños” ao público espanhol. No dia 2 de março os Still Life Trio vão apresentar o álbum em Vigo, no Nuevo Bonus Track e no dia 4 de março, João Silva e Margherita Abita, vão estar no Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima.
Em formato trio voltam novamente a atuar na Casa Montnegre, em Barcelona, no dia 10 de março. Como Still Life + Strings atuam dia 16 do mesmo mês no Festival Cocoa Blues & Fusion, em Barcelona, no dia 23 de março em La Maceta e novamente a 13 de abril em El Siglo em Sant Cugat
Os Still Life terminam a digressão no dia 15 de Junho no Food Truck Market Festival de Granollers em Barcelona. 

Music For All

domingo, fevereiro 24, 2019

"Sweet dreamer" - Mick Ronson & Ian Hunter


The Bookkeepers - "Break, break, break"


Vasco Moreira Gritali - "Radio" (EP)

 



Tascam (Áudio)


https://tascam.jp/int

The Bookkeepers premiados na Colômbia

Banda portuguesa premiada na Colômbia
Videoclipe de “Break, Break, Break” dos The Bookkeepers, realizado por André Almeida Rodrigues e protagonizado pela Comunidade Piscatória de Angeiras, premiado como Melhor Videoclipe do FestMedallo – Festival Internacional de Cine de Medellín, que decorreu entre os dias 14 e 17 em Medellín, Colômbia.

O videoclipe de “Break, Break, Break” dos The Bookkeepers, banda de rock poético de Santa Maria da Feira, realizado por André Almeida Rodrigues e protagonizado pela Comunidade Piscatória de Angeiras, em Lavra, Matosinhos, foi premiado como Melhor Videoclipe do FestMedallo – Festival Internacional de Cine de Medellín, que decorreu entre os dias 14 e 17 em Medellín, Colômbia, Roménia. É a segunda participação em festivais e é o segundo prémio de melhor videoclipe que conquista depois de ter sido distinguido como Melhor Videoclipe de janeiro do 12 Months Film Festival, na Roménia. Podem comprovar em:
O videoclipe está disponível em:
E a música está disponível para download em mp3 em:
O videoclipe tem uma forte componente documental poética e é sobre a nostalgia do dia-a-dia de uma comunidade piscatória.
Os primeiros acordes da música “Break, Break, Break” foram desenhados no Mar do Norte há uns anos atrás num navio em que trabalhava Meco Dabenda, vocalista dos The Bookkeepers. E a letra, é o clássico poema homónimo do poeta britânico Alfred, Lord Tennyson (1809-1892).
“Break Break Break” marca a estreia de André Almeida Rodrigues, um cineasta premiado internacionalmente, na realização de videoclipes e pretende-se distribuir internacionalmente por festivais dedicados ao videoclipe. O seu último filme é “Alfaião”, um documentário poético sobre o dia-a-dia da aldeia de Alfaião, em Bragança, e que, até hoje, ganhou 8 prémios e conta com 71 exibições em 28 países.
E os The Bookkeepers é uma banda de rock poético de Santa Maria da Feira com canções compostas por poemas de Florbela Espanca, Fernando Pessoa, Camões, W.B.Yeats, Shakespeare ou Alfred, Lord Tennyson, entre outros poetas.




sábado, fevereiro 23, 2019

Visitas +


Rússia

Estados Unidos

Reino Unido

Brasil

França

Albânia

Portugal

Alemanha

Ucrânia

Indonésia