terça-feira, maio 23, 2017

Zé do Telhado

 




"Celebrizado pela sua audácia enquanto salteador (alguns chamavam-lhe o Robin dos Bosques português por roubar aos ricos para dar aos pobres), Zé do Telhado foi um valoroso combatente militar cujos créditos foram reconhecidos. Enquanto militar, lutando pelos liberais contra os absolutistas, subsistem diversos registos e relatos da sua valentia, tendo recebido a medalha de Torre e Espada, por actos heróicos nas hostes de Sá da Bandeira, do Duque de Setúbal e na revolta da Maria da Fonte.
Com as autoridades no seu encalço por todo o País, Zé do Telhado resolveu fugir para o Brasil, escondeu-se na barca “Oliveira”, acostada no Porto. Ali estava à guarda de Ana Vitória, uma mulher que fora sua vítima mas que se tornara sua admiradora. Cabe-lhe a ela a frase lapidar que o transformou no Robin dos Bosques portugueses: existem pessoas “de bem que nunca deram às classes humildes um centésimo do que lhes deu Zé do Telhado.”
Viria a ser capturado pelas autoridades e preso na Cadeia da Relação, no Porto, onde conheceu o escritor Camilo Castelo Branco.
Foi condenada a 15 anos de degredo em África, em Setembro de 1863.
Na foto com o seu irmão... "

Esta é mais uma do João Manuel Aristides Duarte, Professor Universitário, Radialista, Bloguer e grande conhecedor de música (Também de Rock).
Coloco aqui porque não se pode partilhar as suas publicações.

Sobre  história: Outros tempos...

Sem comentários: