terça-feira, maio 23, 2017

Carolina Beatriz Ângelo

 

De vez em quando dou uma volta pelo Facebook e hoje reparei neste post do João Manuel Aristides Duarte, Professor Português e grande fã de música, e de Rock também:

"Carolina Beatriz Ângelo, nascida na Guarda, sufragista e fundadora da Associação de Propaganda Feminista, depositou o seu voto nas urnas para a eleição da Assembleia Constituinte, em 1911, o primeiro acto eleitoral realizado após a implantação da República, e numa altura em que o direito de voto era reconhecido apenas a “cidadãos portugueses com mais de 21 anos, que soubessem ler e escrever e fossem chefes de família”.
Para que o seu voto fosse aceite, Carolina Beatriz Ângelo invocou a sua qualidade de chefe de família (que apenas era reconhecido aos homens), sendo viúva e mãe, bem como o sentido do plural da expressão ‘cidadãos portugueses’ cujo masculino se refere, ao mesmo tempo, a homens e a mulheres, conseguindo assim que o tribunal lhe reconhecesse o direito a votar. O acto de Carolina Beatriz Ângelo teve consequências levando, em 1912, à alteração da lei, que passou a especificar que apenas os chefes de família do sexo masculino poderiam votar.
Para além de ter sido a primeira mulher a votar em Portugal, Carolina Beatriz Ângelo foi, também, a primeira mulher a votar no quadro dos doze países europeus que vieram a constituir a União Europeia.
Foi propagandista do Registo Civil, oradora em sessões realizadas nos Centros Escolares Republicanos e uma empenhada lutadora na campanha a favor da discussão e aprovação da Lei do Divórcio pelo Parlamento (em 1909). Refira-se ainda que Carolina Beatriz foi uma das mulheres que participou na confecção da bandeira republicana desfraldada aquando da revolução de 5 de Outubro de 1910.
Faleceu a 3 de Outubro de 1911, em Lisboa, e tal como o desejo expresso em declaração escrita, teve “enterro civil e em tudo democrata”
Hoje há uma Escola na guarda, com o seu nome..."

E não só...
Pois há um hospital em Loures (Portugal) também com o nome desta mulher imortal.

Sem comentários: